Parte do coletivo Soylocoporti

E você já tá pra lá de Marraqueche

Arquivo do mês agosto de 2012

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Se Houver Céu

Todo dia desejo criatividade para escrever bem. Por isso, antes de dormir, canto:

 

Gênio nosso, se houver céu ,

 imortalizado seja o vosso nome,

venha a nós o vosso verso

seja feita a vossa poesia

assim no tapume como no papel.

 A epifania nossa de cada dia nos dai hoje,

perdoai-nos as nossas críticas,

assim como nós perdoamos

a quem não nos tem entendido,

e não nos deixeis cair em amolação,

mas livrai-nos do normal.

Amém.

 

share save 171 16 Se Houver Céu

Nenhum comentário »

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Não Enche

Ontem fez 70 anos que o baiano apelidado de Caê nasceu. Multifacetado, representou toda uma geração de jovens brasileiros com ideias revolucionárias. Já foi escritor, jornalista, produtor, filósofo, músico, arranjador e até inimigo do Estado. Contudo, sua marca mais notória pra história brasileira foi a capacidade de transmitir toda a mistura viva do mundo em melodia e palavra cantada.

Caetano Veloso se transporta através do tempo e dos gêneros. Iniciou sua carreira fazendo interpretações de músicas já conhecidas e misturando estilos tradicionais com a cultura popular, ajudando a fundar a Música Popular Brasileira, o Tropicalismo  e até mesmo o  rock psicodélico brasileiro. Foi nos espetáculos informais e festas de universidade que descobriu sua vocação para a mistura, o que se evidenciava pela participação em elencos como o de Nova bossa velha, velha bossa nova.

Apesar das críticas constantes com relação às letras nem sempre tão lineares, Caetano continua vivo na alma daqueles que gostam de boa música. Juiz de tudo, como dizem alguns colegas de carreira, fala o que pensa e continua desafiando a visão de leitores e ouvintes do mundo, conservadores e progressistas. Criticou Lula e foi criticado por ser incoerente, mas a verdade é que, com maturidade de quem já viajou por outros mundos, Veloso só tem compromisso com aquilo que sente na alma. Sua coerência não está ligada à figuras políticas ou movimentos sociais, mas sim com a quebra do status quo e, por isso, se dá o direito de repensar o mundo e sua ordem. Quantas vezes quiser.

Passarão anos, gerações e Caetano Veloso ainda será muso de inspiração. Suas músicas e poesias ainda circularão por aí, sejam em declarações de amor, críticas ou até mesmo em nomes de blogs (como este).  Assim, com setenta anos completados ontem, e trabalhos muito característicos, Caê pode dizer que seu pedido ao tempo (como em Oração ao Tempo) foi atendido: seu espírito ganhou um brilho muito bem definido e suas palavras só espalharam benefícios.

 

 

share save 171 16 Não Enche

1 comentário »

Blog integrante da rede Soylocoporti